Arquivo mensal: novembro 2011

bitNEWS – Cubeecraft

Essa é pra quem tem pouco dinheiro mas muito papel. Quer action-figures gastando pouco? A resposta é Cubeecraft.
Esse site não é novidade, mas vale uma conferida. Lá você vai encontrar vários modelos de personagens de jogos ou não, então é só imprimir, recortar e montar.

Cubeecraft – Aqui

 

Lembrando, tudo feito só com papel. Nada de cola…
No site existem muitos artistas que participam com trabalhos. Mas a maioria dos trabalhos, manuteção regular e a idéia original que deu inicio a tudo isso, foi de um cara – Chris Beaumont.
Demonstração do Wolverine(dificuldade 3)

bitREVIEW – Jurassic Park: The Game

 

Jurassic Park: The Game é o mais novo jogo da desenvolvedora Telltale Games (Back to the Future // Sam & Max ) dessa vez abordando o universo da série com seus dinossauros e conspirações empresariais.

História:  Jurassic Park: The Game se passa durante o primeiro filme e termina algum tempo depois dele. Conta a estória de 6 sobreviventes que querem deixar a ilha após o acidente que soltou os dinossauros no primeiro filme. Com algumas reviravoltas e segredo os sobreviventes lutam para sairem ilesos dessa situação.

Jogabilidade: A jogabilidade varia entre momentos de conversa e quicktime events, onde você deve apertar os botões do controle (mouse e teclado no pc) das mais variadas formas para seguir na ação e consequentemente na estória. Em alguns momentos o jogo abre possibilidades diferentes, você pode, ou errar um um botão seguir para uma cena nova que te permite escapar de outra forma.

SOM: Ótimo. Para quem já conhece o som caracteristico de um T-Rex (no filme), vai ficar muito satisfeito em ouvir o enorme berro do animal. Todas as músicas tema dos filmes também estão presentes em vários momentos do jogo adicionanando uma certa nostalgia.

Gráficos: Os gráficos não são os melhores já vistos nessa geração, mas fazem seu trabalho perfeitamente para a proposta do jogo.


Prós:

  • Jogabilidade interessante que não deixa o jogo ficar parado;
  • Momentos memoráveis dos filmes sendo visitados no jogo;
  • Uma boa estória que se encaixa muito bem no universo de Jurassic Park;
  • Personagens legais e  a dublagem funciona.

Contras:

  • Não é um jogo para todos os gostos;
  • As vezes morrer em uma mesma cena várias vezes e ter que voltar toda ela é irritante;
  • Não possui um sistema de save muito útil.

Conclusão: Se você é um fã da série, não pode perder esse jogo. E para aqueles que não estão familiarizados com Jurrassic Park, o jogo ainda oferece uma experiência agradável. Ao menos a vontade de rever os filmes você vai ter após jogar.

Nota: 7,5

bitCAST 01 – Street Fighter

Que comece o jogo, estamos aqui para o primeiro bitCAST!

É isso aí galera, hoje Matheus dos Santos, Dan, Bala e Lucas Retarda batem um papo bem descontraído e informativo sobre Street Fighter. Nesse bate-papo que estréia o bitCAST, o podcast do bitSTART, falaremos sobre todos os principais jogos da série e alguns de seus spin-offs.

Entenda a história do maior jogo de luta de todos os tempos, entenda cada um dos personagens e a nacionalidade brasileira do nosso amigo Blanka. Tente conosco entender qual a grande motivação para se entrar em um torneio de vida ou morte só para arrumar uma briga legal, ou porque andar na selva faz você ficar verde e  aprenda com a CAPCOM como fazer dinheiro relançando os mesmos jogos com um nome diferente . Veja toda a evolução da série através dos anos e como a franquia renasceu com tudo em Street Fighter IV.  Tudo isso e  muito mais você confere nesse bitCAST!

 

Aguardamos o seu comentário! Comente no post ou envie um email para nós. Os melhores comentários serão lidos no próximo bitCAST.

Não se esqueça de curtir a página do facebook do bitSTART e de seguir nosso twitter.

 

Links comentados nesse cast:

 

Baixem aqui em baixo de acordo com a qualidade ou ouça direto pelo nosso player.

bitCAST-01-StreetFighter(32) – Baixa qualidade (32kbps)

bitCAST-01-StreetFighter(64) – Média qualidade (64kbps)

bitCAST-01-StreetFighter(96) – Alta qualidade (96kbps)

 

bitREVIEW – Fragile Dreams: Farewell Ruins of the Moon

Simplesmente um jogaço, não tinha tantas expectativas sobre este Game, Dan pediu para eu jogasse e alegando que não fosse me arrepender. Bem, ele estava certo!

Lançado em Março de 2010 pela Tri-Crescendo (Eternal Sonata, Blue Dragon e entre outros) Fragile Dreams te prende do começo ao fim e deixa saudades quando termina.

História:

Um garoto de 15 anos chamado Seto, que aparenta ser a última pessoa do mundo, morava com seu Velho em um observatório. Após a morte desse homem, ele resolve aventurar-se no mundo todo em busca de sobreviventes. Em seguida, ele encontra uma misteriosa garota de cabelos prateados cantando sob a luz do luar. Ela foge após trocarem algumas palavras.

Seto sai em busca da Garota e sobreviventes e por aí a trama se desenvolve.

Jogabilidade:

Fragile Dreams é um jogo muito focado na exploração, e acaba não se preocupando muito com os combate, tornando-os muito repetitivos.

A mira do Seto é controlada pelo Wii Remote, enquanto você o movimenta pelo analógico do nunchuk

Durante o combate, é necessário iluminar com sua lanterna ou golpear seus inimigos com pedaços de madeira ou até mesmo disparando flechas com seu arco.

Seto obtém experiência derrotando seus inimigos, podendo upar o seu level, conseqüentemente aumentando seu HP e o dano causado pelos seus ataques.

Sua mochila é limitada para carregar itens e equipamentos, além de terem itens desconhecidos, que só podem ser identificados nas fogueiras(Save points do jogo).

SOM:

O áudio é impecável, tanto sua dublagem quanto sua trilha sonora.

O jogo faz uso do alto-falante do Wii remote que é utilizado freqüentemente, aumentando ainda mais a imersão no clima do game.

Gráficos:

Graficamente o jogo está muito bonito (Sua linda) apesar das limitações do console, e as artworks são fantásticas!

Abertura do jogo:

 

Prós:

  • História Fantástica, muito triste por sinal, chorei bastante! D:
  • Gráficos bem bonitos e trabalhados.
  • Trilha Sonora e Dublagem impecáveis.
  • Memory Items – São itens encontrados no jogo que contém as últimas memórias do seu dono antes deles morrerem.

Contras:

  • Combate repetitivo, podendo até evita-los com muita facilidade fugindo.
  • As armas quebram, e se você não tiver mais nenhuma no inventário, você terá que ir até a fogueira para ou pegar do báu (que tem espaço ilimitado) ou comprar com o vendedor.
  • O game é curto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conclusão:

Se você gosta de um enredo sério e gráficos bons, jogue Fragile Dreams! Ele lhe proporcionará uma experiência única.

“I look forward to our next meeting!”

 Nota: 9,5

bitFUN – Games Vs. Vida Real

Quando games e vida se misturam coisas ruins podem acontecer. Se tentássemos tornar algumas coisas que vemos nos games em realidade, o resultado seria mais ou menos assim…

Na vida real…

...o Mario não é carismatico

...quebrar tijolos com a cabeça não é uma boa idéia

...o Mario só faria isso

...pacman seria ainda mais esquisito

...round 2 seria assim

...você é o da esquerda

...boomerangs NÃO voltam

...'come here!' mata

...Piranha Plants são mais mortais

...Bullet Bill é MUITO mais mortal

...tem coisas que nunca mudam. xD